quarta-feira, 28 de outubro de 2009

CAMPANHA CARIOCA: O CRITÉRIO PARA A REFORMA DA ZONA PORTUÁRIA


Vivi grandes momentos em sala no dia de ontem. Numa aula sobre a participação dos militares na proclamação da República, por exemplo, o debate acalorado - e digno dos melhores momentos dos Irmaos Marx - foi sobre o destino do patinho feio : Se o anatídeo da fábula infantil era cisne ou ganso.

Em outro momento, respondendo a uma questão sobre a Reforma Passos, falei sobre os projetos de urbanização do Rio de Janeiro ao longo da República.

A coisa acabou resvalando nas Olimpíadas de 2016 e quejandos. Um aluno me perguntou:

- Simas, qual é o projeto ideal para revitalizar a Praça Mauá e o porto?

A resposta que me ocorreu, marcada pela seriedade que a questão demanda, foi a seguinte:

- Não sei. Mas sei qual é o critério decente para estabelecer quem será o urbanista da reforma do porto. É só perguntar o seguinte: O senhor sabe cantar o samba de 2001 do Império Serrano? Não? Então vá reformar a casa da senhora sua mãe.

Lanço aqui, portanto, a seguinte campanha cívica e carioca : Só os que sabem o sambaço-aço-aço do Império em 2001 têm condições artísticas, urbanísticas e, sobretudo, morais, de pensar e tocar o projeto de reforma da Zona Portuária de São Sebastião do Rio de Janeiro. O meu critério é esse, e ponto. Para fechar a questão, é só ouvir a Serrinha na avenida:


A letra, com o meu abraço, está aqui .

6 comentários:

Marcelo Moutinho disse...

Aprovadíssimo, mestre Simas!

Carlos Andreazza disse...

Carlinhos da Paz defendendo aquele que seria o melhor samba da década - não fosse a obra com que o Império Serrano desfilará em 2010!

"Vem que o Império te leva"...

ACORDABAMBA disse...

Prezado Simas!
Há muito que os moradores da Zona Portuária do Rio de janeiro esperam pela atenção do Poder Público. Tudo indica que a região passará por uma reestruturação até 2016. O problema é que, tudo indica, será nos moldes do bota-abaixo do Pereira Passos, ou seja, as reformas pelas qual a ZP vai passar não será para beneficiar os moradores locais, mas sim para favorecer empreendimentos imobiliários, a expansão do Centro Financeiro etc. Não queremos uma nova Lapa por aqui, onde, nos bares, tomar uma cerveja é proibitivo. E para finalizar: como tem aparecido oportunistas com os projetos mais mirabolantes na área de cultura procurando falar em nome da região e de seus moradores. Vamos apelar pro Prata Preta com seu falso canhão pra botar ordem na casa!
Cordiais Saudações!!!
Orlando Rey
Cordão do Prata Preta

Felipe Damico disse...

Eu sei...

Eu seria o unico na que levantaria a mão... Fizeste a pergunta 1 ano atrasado

Luiz Antonio Simas disse...

REY, também acho que o risco forte é esse! E, francamente, não gostei nada do que a prefeitura andou sugerindo até agora. Vamos ver...

FELIPE, é verdade. Hehehe. Essa pra você é mole. Esse ano, infelizmente, não tem um aluno que se interesse pelo babado. A propósito: sairás no Estácio ou na Tuiuti? Abraço

Felipe Damico disse...

Sairei na Estácio, aliás com um samba que era o melhor da disputa, coisa dificil pelas bandas do São Carlos e outras proximas ao maciço da Tijuca.

De resto apenas assistirei.