quarta-feira, 14 de outubro de 2009

PROFECIAS - O CARNAVAL OLÍMPICO

Eis a vantagem de ser historiador - só precisamos profetizar o que já aconteceu. Sim, somos os profetas do passado. Quando o historiador dana de tentar prever o futuro, é um deus nos acuda.

Lembro, por exemplo, quando o renomado Eric Hobsbawm lançou no início dos anos noventa o seu livro Nações e Nacionalismos. Hobsbawm - que como todo bom marxista adora dar palpites sobre o porvir - declarou que os conflitos nacionalistas eram coisa do passado. Semanas depois explodiu a pancadaria na Bósnia. Adivinhem que diabos foi aquilo? Até a Raça Rubro-Negra sabe que os nacionalismos andam mais endiabrados do que nunca.

Fiz esse arrazoado inicial por uma razão de estratégia do texto: mandarei às favas o risco do erro e irei bancar o profeta nesse espaço. Ezequiel, São João Evangelista, Marx, Hobsbawm, Omar Cardoso, INRI Cristo e Zora Yonara que me perdoem, mas vou entrar pro time dos visionários e vaticinar o futuro - mais precisamente o carnaval de 2016, o ano olímpico carioca.

O desfile das escolas de samba do grupo especial será, evidentemente, temático, por sugestão do Capitão Guimarães, após a LIESA ganhar mais uma licitação para administrar o furdunço. Imagino alguns enredos. Vamos lá.

A Portela - que ultimamente só faz enredos relevantes - vai manter a tradição e contar a vida dos irmãos Hipólito na Sapucaí. O samba-enredo exaltará, surpreendentemente, Oswaldo Cruz e Madureira. Dirá o samba em seu trecho mais elaborado : O sonho olímpico que seduz Oswaldo Cruz e Madureira / Onde voam os irmãos Hipólito e a olímpica águia guerreira". A águia, com os anéis olímpicos entre as garras, dará piruetas no abre-alas. Anotem.

O enredo da Grande Rio é o mais fácil de acertar - a escola homenageará a Barra da Tijuca, sede da maioria das disputas olimpicas, e o Projac, o estúdio da Globo em Jacarepaguá, pertinho da Barra. Já posso escutar o refrão que levantará a avenida e levará Suzana Vieira, a velha guarda da escola, às lágrimas: Tem New York City Center / É pertinho do PROJAC/ Tem jardins no Golden Green / Grande Rio / És tudo pra mim.

A Beija Flor provará que os orixás eram atletas olímpicos na África imemorial. Olorum ordenou que Oxalá organizasse uma disputa entre Xangô e Ogum para saber quem ganharia o trono de Ilê Ifé e o amor de Iansã - e aí surgiram os jogos. Os gregos entraram de gaiatos nessa história.

O Salgueiro reeditará, com pequenas alterações e um novo samba, o Peguei um Ita no Norte - contando a saga de um cabra que saiu do Pará, conheceu o Brasil, chegou ao Rio de Janeiro, trabalhou como operário na construção da Vila Olímpica e realizou o sonho de assistir a abertura dos jogos. O refrão do samba lembrará muito a melodia do Pirulito que bate-bate e levantará a passarela.

A Mocidade Independente, que vai se reencontrar com a vertente do carnaval high tech, contará a história do doping olímpico - com carros futuristas representando o passeio das substâncias proibidas pelas veias do corpo humano.

A Mangueira - que em 2014 revolucionará o carnaval desfilando com um funk-enredo, o gênero que substituirá o desgastado samba na verde e rosa - adiará mais uma vez a homenagem a Cartola e Nelson Cavaquinho e cantará "Carlos Arthur Nuzman, a vitória de um sonhador".

A Imperatriz Leopoldinense apresentará um enredo bem tropical, com a cara da escola: "Jean-Marie Faustin Goedefroid de Havelange, um menino brasileiro de 100 anos" , sobre o centenário do ex-presidente da FIFA e sua importância para a história do esporte, das armas de fogo e do carnaval.

E o Império Serrano, pergunta o leitor? Estará no grupo de acesso, apresentando um desfile épico, debaixo de forte temporal, sobre o centenário do final da Guerra do Contestado [1912-1916], quarenta anos depois da Em Cima da Hora cantar Canudos em Os Sertões, com o samba monumental de Edeor de Paula. O desfile da Serrinha entrará para a história, continuará sendo falado em 3016, e eu estarei na avenida, mais molhado e comovido que pinto no lixo.

Para terminar esse exercício bíblico que já se alonga, deixo com os senhores a comovente gravação original de Os Sertões, do lp das escolas de samba de 1976. Para bom entendedor...

11 comentários:

Sartori disse...

Prezado Simas:
Parabéns pelo antigo blog e informo que continuarei acompanhando o novo.
Aproveito para perguntar de onde foi retirado o quadrinho de Cosme e Damião que está no canto da página.
Grande abraço!
Ricardo

Szegeri disse...

Este blogue tá parecendo o Senado Federal (sem querer ofender, claro): vamos mudar tudo, pra ficar exatamente igual...

Mariane disse...

Já passo para prestigiar o novo espaço, que tenho certeza não ficará devendo em nada ao grande Histórias do Brasil. Adorei, querido, e aproveito para agradecer a grande recepção!
Beijos.

Henrique Hoffmann disse...

Simas,você estará "mais molhado e comovido que pinto no lixo",desfilando na ala dos compositores da Serrinha?

Um abraço,

Henrique

Olga disse...

Sensacionais, Simas, as suas previsões.

E que samba! Apenas duas mãos e a obra-prima se fez (este samba é só do Edeor de Paula, não?). Bons tempos!

Luiz Antonio Simas disse...

SARTORI, peguei o retrato na internet mesmo. Valeu a presença. Abraço!

SZEGERI, tô igual ao principe do Lampedusa: mudar para permanecer...mas quem me danou foi o blogspot mesmo. O Bruno tentou de tudo para reconfigurar o Histórias do Brasil. Não deu.

MARI, valeu a força. Vocês serão sempre queridos aqui no Rio.

HENRIQUE, no Império eu vou feliz até empurrando carro. Mas a ideia é boa, meu camarada.

OLGA, tempos que não voltam mais. E é pena...

Carlos Andreazza disse...

O melhor blogue do Brasil muda para permanecer igual: o melhor do Brasil.

Excelente!

Rodolfo Caruso disse...

Salve Simas,
muito bacana o texto, você está de psrabéns !
um abraço aço aço
Rodolfo
www.myspace.com/rodolfocaruso

Daniel Talyuli disse...

Simas, de fato a Portela nao tem feito nenhuma obra de arte nos ultimos carnavais e especialmente no 2007 fez akela porqueira do pan...mas o enredo 2007 escreveu sobre as misturas do brasil e seu povo simgular, batido? talvez. ruim? nao. 2009 foi rei arthur ou algo assim, sei lah... Mas 2008, mesmo sem um tema original...falamos de meio ambiente neh... o samba foi, na minha opiniao, o melhor dos ultimos 5 anos ao menos.
Quanto a repeticao de Oswaldo Cruz e Madureira... eh, essa tah dificil de discutir.

Casé disse...

Simas,

Previsões deliciosas. Relembrar da Zora Yonara, nem se fala. Só faltou menção as manobras da bateria da Viradouro. rs

Abraços,

Casé

Alsan Matos disse...

Fantástico texto, Professor!!!

Descobri há alguns minutos seu blog e já me apaixonei. O sr. é como eu: louco por escolas-de-samba, política e história, aborda esses temas de uma forma racional, mas sem perder a simplicidade.

Pode ter certeza que me tornarei assíduo por aqui. Abração, e obrigado por compartilhar suas ideias conosco.