quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

UTILIDADE PÚBLICA PARA QUEM DETESTA CARNAVAL

Já apareceram as primeiras figuras neste hospício virtual me criticando por falar muito de carnaval e escola de samba. Provavelmente querem que eu comece a dar palpites sobre coisas que não gosto, não estudo e não sei. Recebi também um email de um pregador adventista (é sério), com exortações religiosas, lamentando que eu escreva sobre "esses temas e coisas de macumba" em O Dia (informo aos amigos que devo ser recordista de xingamentos virtuais proferidos por neopentecostais, desde que a "Folha Gospel" reproduziu um texto meu sobre ala das baianas e a turma da aleluia começou a me responder. Fui, inclusive, exorcizado virtualmente. Não adiantou.)
Façamos o seguinte: para você que não gosta de carnaval, de escola de samba e babados similares, preparei, consultando o Pai Google da Aruanda, meu babalorixá virtual, uma lista de eventos off-folia que ocorreram nos últimos anos e devem se repetir nos dias de Momo. Divirtam-se, agradeçam a minha boa vontade de responder com carinho a quem me maltrata e parem de me encher o saco. Minhas dicas para quem não quer saber de carnaval são as seguintes:
- Em São Paulo tivemos, nos últimos anos, missas com os padres cantores Marcelo Rossi, aquele que canta imitando elefantes e girafas, e Antônio Maria, cujo ápice da carreira sacerdotal foi ter celebrado a histórica união entre Ronaldo Fenômeno e Daniella Cicareli no Castelo de Chantilly, na França, sob patrocínio da revista Caras. Programaço.
- Mostra de filmes inéditos no Centro Cultural Banco do Brasil. Imperdível para os cinéfilos que detestam carnaval. Enquanto eu, um ignorante, estiver me preparando para ir pro balacobaco, por exemplo, o sujeito pode assistir a filmes do diretor tunisiano, adepto do cinema contemplativo, Abdellatif Kechiche, curtir uma mostra de filmes de jovens documentaristas da Indonésia e assistir a uma maratona sobre o olhar feminino no cinema do Leste Europeu.
-Em Búzios costuma ocorrer um festival de música eletrônica, programa ideal para candidatos a artistas de vanguarda antenados com a cena eletrônica européia. No Ceará, nos dias de folia, bombou nos carnavais passados o festival Ceará in Rock. O objetivo do furdunço, segundo os organizadores do evento de 2013, foi o de "promover a integração musical e ambiental, com a presença de atrações estrangeiras e da cena nordestina, como, em carnavais anteriores, o Comando Etílico (RN) e grupos de vanguarda do rock piauiense". Excelente!
- Caminhadas ecológicas. Eis um programa tremendamente interessante para os que detestam o tríduo. Há uma série de caminhadas ecológicas, que podem ser feitas com o auxílio de grupos especializados, previstas para o reinado de Momo. Uma empresa do ramo, por exemplo, organizou nos últimos carnavais trilhas na Floresta da Tijuca, no Morro da Urca, na Pedra da Gávea e na Serra dos Orgãos, com direito a banhos de cachoeira e paradas para meditação. Deve ser tremendamente divertido, sobretudo se chover.
- Fim de semana prolongado no Hotel Fazenda Santa Cruz, nas imediações de Barra do Piraí. Leite tirado na hora, diversões temáticas para crianças, sessões de power yoga e tai-shi-shuan para a terceira idade e, importantíssimo, shows de MPB e jazz. Sessões de relaxamento com terapeutas especializados, massagens com pedras pegando fogo, oficinas de origami e palestras sobre culinária orgânica são opcionais e não estão incluídas no pacote.
-A catedral mundial da Igreja Universal do Reino de Deus, na Avenida Dom Helder Câmara, promoverá mais uma vez a "maratona do descarrego". Durante quatro dias pastores realizarão exorcismos e descarregos em tempo integral. A igreja promete encerrar o evento com a realização do ritual da fogueira santa de Israel, onde os bilhetes com pedidos dos devotos arderão na pira do Leão de Judá. O Templo de Salomão, em São Paulo, fará o mesmo.
- Visita ao túmulo do Marechal Floriano Peixoto, no São João Batista ( jazigo 125 - A, podem conferir), dentro de um projeto do circuito carioca de turismo em cemitérios. Para quem preferir o Caju, indico o túmulo do Barão do Rio Branco, em mármore monumental e mais alto do que o vão central da ponte Rio-Niterói. O cemitério de Paquetá tem mangueiras centenárias e clima bucólico.
-Camarotes das cervejarias na Marquês de Sapucaí; sempre repletos de celebridades e personalidades do mundo político. É, sem a menor dúvida, o melhor programa para quem de fato detesta carnaval. DJs antenados, pista de dança, pagodeiros, sertanejos, modelos, astros do futebol, comidinha japonesa - aquelas em que estranhamente o peixe é cru e o guardanapo é cozido -, água aromatizada, drinques coloridos e camisas customizadas pelo personal stylist de plantão fazem parte do pacote. Não há, definitivamente, melhor programa para os que odeiam a folia.
Saravá, evoé, beijos e abraços. Me deixem apenas brincar e escrever em paz!

Nenhum comentário: